FANDOM


Lebre
Lebre
Reino Animalia
Família Leporidae
Classe Mammalia
Alimentação Herbívoro
Tipo Vertebrado
Filo Chordata
Ordem Lagomorpha
Gênero Lepus

Informações Editar

A lebre é a designação vulgar de várias espécies de mamíferos da família Leporidae, pertencentes a um dos seguintes gêneros: Lepus, Caprolagus ou Pronolagus. Podendo-se locomover com grande velocidade, certas espécies de lebres podem atingir até 55 km/h. O macho denomina-se lebrão ou lebracho , a fêmea lebre e os filhotes láparos. A lebre, geralmente, é um animal muito tímido, podendo viver em pares ou solitariamente. Lebre" veio do termo latino lepore .


Características Editar

As lebres europeias mudam seu comportamento na primavera: elas podem ser vistas, ao longo do dia, correndo atrás de outras de sua espécie nas pradarias.
25626
Isto pode ser visto como uma disputa entre machos desta espécie a fim de alcançarem a liderança. Nessas disputas, pode-se frequentemente ver lutas, um atingindo o outro com suas patas.

Mas uma observação mais detalhada revelou que geralmente é uma lebre fêmea que acaba batendo em um macho, com o intuito de mostrar que ainda não está pronta para a reprodução ou simplesmente para mostrar a sua determinação.

A dieta da lebre é muito similar à do coelho. Uma das diferenças entre lebres e coelhos é o fato de que os membros posteriores da lebre são bem mais longos que os anteriores, enquanto que no coelho os membros posteriores e anteriores possuem o mesmo comprimento. Esta característica, aliada a um corpo musculoso, faz da lebre um corredor muito ágil e resistente, os filhotes da lebre já nascem com pequena capacidade motora e visual, enquanto que os filhotes do coelho nascem completamente cegos e ficam no ninho por algumas semanas até poderem sair sozinhos.
Z-SteveSayles-arctichare
Os ninhos das lebres são constituídos por depressões rasas ou são áreas aplainadas na grama, diferentemente dos coelhos, que os fazem em tocas no solo.

Estes animais deslocam-se normalmente aos saltos. As marcas das patas posteriores aparecem aos pares: são mais longas que as anteriores, e o metatarso (um dos ossos do pé) apóia-se completamente no chão. Além disso, precedem sempre as marcas das patas anteriores, que são alternadas.

Devido à posição lateral dos olhos, a lebre dispõe de um amplo campo visual, que se revela bastante útil quando os inimigos estão por perto. Dentre eles encontram-se a raposa-vermelha e aves de rapina.

Devido à caça, o número de lebres na natureza diminuiu aproximadamente em 30% nos últimos 10 anos. Sua pele é vendida para fazer tapetes ou simplesmente para decoração e sua carne é muito apreciada. Mesmo assim, organizações não governamentais conseguiram fazer com que a caça diminuísse e que as lebres pudessem circular livremente em áreas maiores. Atualmente, as lebres estão espalhadas por quase toda Europa, América e em alguns países da África e da Ásia. Na Região Sul do Brasil, é comum em ver lebres em fazendas, principalmente em áreas de mato fechado e de manhã. É conhecida pela sua velocidade, podendo atingir até 65 km/h. Suas patas traseiras, longas e fortes, permitem-lhe correr em zigue-zague sempre que é necessário confundir o perseguidor.

Reprodução

A gestação da lebre dura em torno de 40 dias. A fêmea dá à luz de um a cinco filhotes, em um ambiente tranquilo e abrigado. Os cuidado maternais limitam-se à amamentação, que em geral acontece à noite; durante o dia, os filhotes ficam sozinhos. Estes últimos, ao contrário dos filhotes de coelho, que nascem de olhos fechados e sem pêlos, nascem cobertos de pêlos e olhos bem abertos; pouco tempo após o nascimento já conseguem andar sozinhos. Com 15 meses de vida, já são adultos.

Espécies